Conheça melhor a proposta do tributo para “super ricos”

Através de uma reunião virtual foi apresentada oito propostas que foram elaboradas por uma equipe de economistas para enfrentar a crise econômica pós-pandemia. Auditores fiscais e economistas se juntaram a parlamentares e organizações da sociedade civil em uma live para divulgar as propostas com sugestões de alteração do sistema tributário nacional. As propostas apresentadas a câmara dos Deputados visam gerar crescimento na arrecadação com a tributação de super-ricos e ajudar o país a enfrentar a crise econômica.

Entre as mudanças sugeridas na Câmara estão:

  • A isenção de impostos para quem ganha até três salários-mínimos e para as micro e pequenas empresas com faturamento anual de até 360 mil reais;
  • O aumento na taxação de pessoas físicas com salários acima de 60 mil por mês;
  • O aumento no imposto sobre heranças, que teria variação progressiva de 8% a 30%.

Os economistas destacam que no Brasil continua a desigualdade com um sistema tributário regressivo, no qual os pobres pagam muito imposto e os mais ricos não pagam. Essa reforma busca beneficiar a população como um todo para que a população mais pobre pague uma tributação mais cara enquanto a população mais rica fica isenta.

Com o anúncio dessa reforma algumas mudanças já podem começar a surgir no IRPF 2022 e nas alíquotas Imposto de Renda.

O que é o IRPF?

O IRPF é o tributo direcionado para pessoas físicas que são os cidadãos brasileiros que no ano anterior arrecadaram um ganho superior a vinte e oito mil reais e precisam assim fazer a declaração do Imposto de Renda. Existem alguns casos em que as pessoas ficam isentas do pagamento desse tributo que são:

  • Aqueles que já costa como dependente na declaração de outra pessoa física, onde os seus rendimentos, bens e direitos já foram informados;
  • As pessoas que tiveram posse ou propriedade de bens de direito, quando os bens comuns já forem declarados pelo cônjuge ou companheiro, desde o valor total dos seus bens não ultrapassem o valor de R$ 300.000,00 em 31 de dezembro.
  • Todas as pessoas que são dependentes de outras não precisam declarar o IR;
  • Tuberculose Ativa;
  • Cardiopatia Grave;
  • Neoplasia Maligna;
  • Nefropatia Grave;
  • E outras doenças.

E para as pessoas que precisam declarar o imposto de Renda por não se enquadrarem nos casos de isenção é importante ficar atenta aos prazos. A declaração começa no dia primeiro de março e se encerra no dia trinta de abril onde os contribuintes têm 60 dias para prestar conta ao governo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *