Novas regras para Declaração do Imposto de Renda MEI

Todo início de ano a movimentação para a declaração do imposto de renda é intensa para todos os contribuintes. A cada nova declaração dúvidas vão surgindo por parte de todas as pessoas que são obrigadas a declararem, e diante dessas dúvidas uma que passou a ser bastante recorrente foi sobre: quem é MEI precisa declarar Imposto de Renda?

Pelo fato de o microempreendedor individual declarar sua renda como pessoa jurídica muitas pessoas acham que assim ficam dispensados de declararem o imposto como pessoa física, mas nem sempre esse será o caso.

Declaração de Imposto de Renda para MEI

Todas as pessoas são obrigadas a declararem Imposto de Renda se estiverem enquadradas nas condições de obrigatoriedade determinadas pela Receita Federal, mesmo se forem MEI. A entrega do documento se torna obrigatória e a prestação de contas com todos os rendimentos recebidos como MEI no ano anterior será necessária.

Condições como rendimento acima de R$28.559,70 no ano anterior, que equivale a uma renda de R$2.380 por mês, ou rendimentos cuja a soma chegue no valor de 40 mil reais serão obrigados a declararem a receita federal. Pessoas que finalizem o ano com posses somando mais de 300 mil reais também entrarão no grupo e profissionais contábeis irão analisar a sua declaração.

Isenção do Imposto de Renda

Os Microempreendedores individuais são isentos do pagamento do IR se tiverem o total controle financeiro de todas as receitas e despesas da empresa. Suas finanças pessoais também devem ser analisadas e em relação ao negócio é importante manter o controle do livro caixa para manter todo o financeiro organizado e arquivado para uma eventual consulta, quando necessária.

Para a Receita Federal o lucro que é obtido pelo MEI é um rendimento que é isento de imposto. Para fazer todos os cálculos é necessário que os microempreendedores tenham um contador para fazer toda a separação das finanças jurídicas e físicas.

Assim, mesmo o MEI declarando sua renda como pessoa jurídica em alguns casos eles se enquadram no pagamento de pessoa física e são obrigados a prestarem contas a Receita Federal. Alguns desses microempreendedores no ano de 2020 que receberam o auxílio emergencial devem ficar atentos aos valores pois a depender do lucro obtido ao longo do ano somado com o valor do auxílio será necessário que eles tenham que declarar sim o IR e prestar conta a Receita.

Muitas são as regras e dúvidas sobre a declaração, por isso é de extrema importância ficar atento a qualquer nova informação e mudanças para que ninguém seja pego de surpresa e sejam prejudicados perante isso.

Com combustível em alta, ainda vale a pena trabalhar como entregador?

A pandemia tornou o trabalho dos entregadores ainda mais necessário, mas depois que este período mais crítico passou e que o combustível atingiu um dos seus valores mais altos, resta a dúvida: será que ainda vale a pena para os motoboys trabalhar nesta categoria pagando tão alto para encher o tanque? Confira as informações abaixo e entenda:

O Brasil é um dos países mais caros para se ter um carro ou uma moto, pois existem muitos custos para manter o veículo. Além do próprio combustível, existem os valores de manutenção, de possíveis trocas de peças e dos impostos anuais obrigatórios.

Com a pandemia e a existente crise no mercado de trabalho, muitas pessoas começaram a considerar a atuação de entregador e com isso, a considerar a compra de uma motocicleta.

Muita gente está aguardando o lançamento de motos 2022 para garantir um modelo zerado, econômico e moderno para utilizar para o trabalho.

Mas será que vale mesmo a pena?

Sim, esta pode ser uma boa opção para você garantir a sua renda mensal e sair da fila do desemprego, mas é preciso considerar algumas informações antes de atuar nesta área. São elas:

  • Consumo de combustível da motocicleta Um dos pontos mais importantes para atuar como entregador é considerar o consumo de combustível da sua moto, afinal, a gasolina não está barata e para compensar as suas horas trabalhadas, é necessário considerar um modelo que possa percorrer uma boa quilometragem por litro de gasolina.
  • Considerar uma moto elétrica Dependendo do percurso que você fará e das rotas por onde pretende atuar, pode valer a pena considerar um modelo elétrico. A Kawasaki, por exemplo, está lançando em 2022, 3 modelos de motocicleta elétrica que vale a pena conhecer.
  • Considere as condições do trajeto Um dos gastos presentes da vida de qualquer proprietário de veículo é a manutenção e a troca de peças. Para quem trabalha como entregador, a troca de pneus precisa ser um gasto pensado antes, portanto, busque um modelo de motocicleta que possua peças econômicas como é o caso da Honda.
  • Considere o seu meio de trabalho Hoje em dia, existem muitos aplicativos pelos quais você pode trabalhar como entregador e as taxas de comissão para o motorista podem variar, então, o ideal é que você compare as melhores opções e os horários de maio fluxo para organizar a sua agenda de trabalho. Vale lembrar que o motorista pode atuar em mais de um app.

Quais são os direitos do trabalhador, de acordo com a CLT?

Atualmente no Brasil a maioria dos trabalhadores são CLT e os informais buscam se tornar. Isso porque o modelo CLT concede direitos trabalhistas aos profissionais que poucos trabalhos fornecem e é o sistema mais conhecido entre os brasileiros e o referencial de direitos trabalhistas fazendo com que seja o desejo de muitos.

O que é a CLT?

A CLT, Consolidação das Leis Trabalhistas, consiste na junção de regras referente aos direitos dos trabalhadores criada durante a ditadura do Estado Novo. A CLT com sua criação consolidou muitas leis que já existiam no Brasil a um determinado tempo, como por exemplo uma de 1881 quando o Brasil ainda era um império. Desde sua criação a consolidação passou por algumas modificações, mas ainda é a principal referência quando se fala em relações de emprego.

Essa consolidação de leis se aplica para todos os trabalhadores urbanos com vínculo de emprego. Mesmo que os trabalhadores não tenham carteira de trabalho assinada podem comprovar na justiça que preenchem os requisitos e assim garantirem os direitos assegurados pela CLT.

Direitos dos trabalhadores segundo a CLT:

  • Indenização em caso de demissão sem justa causa;
  • Seguro- desemprego;
  • FGTS;
  • Salário-mínimo;
  • 13º salário;
  • Repouso semanal remunerado;
  • Férias anuais;
  • Licença maternidade de 120 dias
  • Licença paternidade;
  • Seguro contra acidentes de trabalho;
  • Entre outros.

Todos os trabalhadores brasileiros têm direito a esses pontos ditos acima e já podem ficar de olho no calendário de saques do FGTS aniversario em 2022, e para quem tem dúvida a respeito de como consultar FGTS? Não precisa se preocupar, é extremamente fácil e intuitivo, podendo ser feito pelo celular.

Um dos direitos que é bastante falado e aplaudido entre os trabalhadores é o seguro-desemprego que auxilia os trabalhadores quando são pegos de surpresa com a demissão sem justa causa. Esse seguro proporciona uma segurança de alguns meses para que os trabalhadores tenham tempo de procurarem um novo emprego e não fiquem totalmente no prejuízo.

Como se tornar CLT?

  • Ser pessoa física;
  • Prestar serviço com pessoalidade;
  • Estar subordinado as normas do empregador;
  • Receber contraprestação (salário) pelo serviço.

Trabalhadores assegurados pela CLT:

  • Trabalhadores rurais;
  • Servidores públicos da união;
  • Servidores autarquias;
  • Autônomos;
  • Estagiários e menor aprendiz;
  • Voluntários.

Essa consolidação de leis se aplica para todos os trabalhadores urbanos com vínculo de emprego. Mesmo que os trabalhadores não tenham carteira de trabalho assinada podem comprovar na justiça que preenchem os requisitos e assim garantirem os direitos assegurados pela CLT.

Conheça melhor a proposta do tributo para “super ricos”

Através de uma reunião virtual foi apresentada oito propostas que foram elaboradas por uma equipe de economistas para enfrentar a crise econômica pós-pandemia. Auditores fiscais e economistas se juntaram a parlamentares e organizações da sociedade civil em uma live para divulgar as propostas com sugestões de alteração do sistema tributário nacional. As propostas apresentadas a câmara dos Deputados visam gerar crescimento na arrecadação com a tributação de super-ricos e ajudar o país a enfrentar a crise econômica.

Entre as mudanças sugeridas na Câmara estão:

  • A isenção de impostos para quem ganha até três salários-mínimos e para as micro e pequenas empresas com faturamento anual de até 360 mil reais;
  • O aumento na taxação de pessoas físicas com salários acima de 60 mil por mês;
  • O aumento no imposto sobre heranças, que teria variação progressiva de 8% a 30%.

Os economistas destacam que no Brasil continua a desigualdade com um sistema tributário regressivo, no qual os pobres pagam muito imposto e os mais ricos não pagam. Essa reforma busca beneficiar a população como um todo para que a população mais pobre pague uma tributação mais cara enquanto a população mais rica fica isenta.

Com o anúncio dessa reforma algumas mudanças já podem começar a surgir no IRPF 2022 e nas alíquotas Imposto de Renda.

O que é o IRPF?

O IRPF é o tributo direcionado para pessoas físicas que são os cidadãos brasileiros que no ano anterior arrecadaram um ganho superior a vinte e oito mil reais e precisam assim fazer a declaração do Imposto de Renda. Existem alguns casos em que as pessoas ficam isentas do pagamento desse tributo que são:

  • Aqueles que já costa como dependente na declaração de outra pessoa física, onde os seus rendimentos, bens e direitos já foram informados;
  • As pessoas que tiveram posse ou propriedade de bens de direito, quando os bens comuns já forem declarados pelo cônjuge ou companheiro, desde o valor total dos seus bens não ultrapassem o valor de R$ 300.000,00 em 31 de dezembro.
  • Todas as pessoas que são dependentes de outras não precisam declarar o IR;
  • Tuberculose Ativa;
  • Cardiopatia Grave;
  • Neoplasia Maligna;
  • Nefropatia Grave;
  • E outras doenças.

E para as pessoas que precisam declarar o imposto de Renda por não se enquadrarem nos casos de isenção é importante ficar atenta aos prazos. A declaração começa no dia primeiro de março e se encerra no dia trinta de abril onde os contribuintes têm 60 dias para prestar conta ao governo.

Após alta nos preços dos carros, motoristas devem sofrer com aumento dos tributos

Os preços de carros tanto novos como seminovos cresceram absurdamente e começaram a preocupar e muito os brasileiros que estão a procura de veículos para trocar de carro ou para ser seu primeiro veículo. Essa alta nos preços foi ocasionada devido a pandemia do Covid 19 que fez com que muitas indústrias e montadoras parassem suas atividades devido a transmissão do vírus e o aumento do número de casos e mortes. A pandemia fez com que a entrega dos veículos atrasasse devido à falta de mão de obra e de matérias primas que ficaram indisponíveis por um tempo considerável.

Esse aumento significativo nos preços dos veículos trouxe grandes preocupações aos motoristas, principalmente a respeito do preço dos tributos pagos anualmente, se eles assim como os automóveis sofreriam um aumento. De acordo com informações sobre o portal do IPVA o valor do IPVA varia com as características de cada veículo, sendo essas o motor, local de fabricação, marca, modelo e o estado em que o veículo foi comprado. Além do IPVA ainda existem outros tributos que são obrigatórios o pagamento e que devem ser realizados todos os anos.

Tributos automotivos

Conhecendo um pouco mais sobre o IPVA

O IPVA, Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores, é um importo cobrado anualmente e seu valor é determinado pelo governo estadual variando de 1% a 6% do valor do veículo em questão.

O valor arrecadado com o IPVA é direcionado ao Tesouro e administrado pelo estado em questão que possui necessidades e pode utilizar esse valor arrecadado para isso, não obrigatoriamente em melhorias de estradas ou rodovias.

Com o início do ano chegando muitos estados do país começam a se preparar para arrecadar o IPVA e os motoristas se preparam para desembolsarem o valor cobrado por cada estado e realizar o pagamento do IPVA MG em 2022 e nos demais estados do Brasil de acordo com informações sobre o portal do IPVA.

Seguro DPVAT

Esse seguro indeniza qualquer vítima de acidente de trânsito em território nacional, seja motorista, passageiro ou pedestre. Foi criado em 1974 e tem como principal função proteger todos os brasileiros em casos de acidentes de trânsito, por isso o seu pagamento é tão importante.

Licenciamento

O licenciamento é o documento que comprova que o veículo está de acordo com as normas de segurança e pode circular normalmente pelas ruas. O pagamento dele deve ser realizado anualmente e é obrigatório seu porte a todos os motoristas para que em casos de abordagem seja apresentado aos policiais para uma conferência sobre o veículo.

Ainda não se sabe muito se esses tributos irão sofrer realmente um aumento assim como os preços dos veículos e devido a isso essa situação aflige muitos motoristas que ficam na torcida para que o acréscimo não aconteça.

Com a saída da Ford do Brasil, saiba quais marcas estão se tornando mais ‘fortes’ no mercado

No ano de 2021 a Ford decidiu pôr fim a sua história de mais de um século no Brasil. suas fabricas em Camaçari (BA), Taubaté (SP) e Horizonte (CE) irão fechar as portas e deixar assim, diretamente, mais de cinco mil trabalhadores afetados, sem contar nos fornecedores e nos trabalhadores indiretos que eram beneficiados pela montadora.

Com o fechamento das fabricas no Brasil a Ford concentra sua produção da America do Sul na Argentina e no Uruguai, deixando no território brasileiro apenas seu campo de provas, o centro de desenvolvimento de produto e sua sede administrativa.

A decisão final de encerrar suas atividades produtivas no Brasil foi resultado de uma soma de fatores que ganhou força com a crise do coronavírus.

Com o anúncio do fechamento das portas da Ford no Brasil muitos motoristas começaram a se preocupar sobre como ficaria o futuro de seus automóveis da marca, se iriam achar peças aqui no país e conseguir fazer a manutenção regularmente. Devido a essa preocupação e tamanha incerteza sobre o assunto muitos clientes começaram a migrar suas intenções de compras de veículos e passaram a procurarem outras marcas que possuem suas atividades de produção no Brasil.

Fiat

A empresa italiana lidera o ranking das dez maiores montadoras de carro do país com uma participação no mercado de mais de vinte por cento. A fábrica fica localizada no estado de Minas Gerais no município de Betim e produz por ano cerca de 800 mil veículos.

Chevrolet

Ocupando o segundo lugar no ranking vem a Chevrolet que conseguiu ultrapassar a Volkswagen e possuir uma participação o mercado nacional de 17,7%. Ao comparar com a Fiat a sua atividade produtiva é bem abaixo, produzindo 380 mil carros por ano na sua fábrica de Gravataí e 270 mil em São Caetano do Sul.

Volkswagen

Mesmo apresentando uma queda na participação do mercado Brasileiro a Volkswagen ainda ocupa uma ótima localização no ranking das montadoras presentes no Brasil.

A Ford ocupa a quarta posição, mas com sua saída abre espaço para outras empresas como é o caso da Renault, Hyundai, Toyota, Honda e Kia que vem ganhando cada vez mais o mercado e os consumidores Brasileiros. Um exemplo desse crescimento no mercado é o lançamento do novo Kia Cerato 2022 que vem se tornando o desejo de consumo de muitos apaixonados por velocidade por conta do seu motor 2.0 que é capaz de atingir a velocidade máxima de 195 km/h e acelerar de0 a 100 km/h em 10,5 segundos.